Friday, October 13, 2006

LITURGIA



LITURGIA DA IGREJA

PORQUE UTILIZAMOS O LIVRO DE ORAÇÃO COMUM?

A Igreja Anglicana Reformada é uma igreja caracteristicamente litúrgica. Aqui estão algumas das razões do porquê utilizarmos o Livro de Oração:

EVIDÊNCIA DA PRÁTICA ESCRITURAL

As formas pré-ordenadas de louvor e oração foram utilizadas nos serviços de adoração descritos na Bíblia. No sexto capítulo do Livro de Números, Deus dá a Moisés esta ordem “Fale a Aarão e a seus filhos, dizendo Deste modo abençoareis aos filhos de Israel, dizendo-lhes,” e em seguida dá-se a benção que continuou em uso pela Igreja. No décimo primeiro capítulo do Livro de Números, Moisés é descrito como se utilizando de uma forma fixa de palavras sempre que a Arca da Aliança é posta diante do povo e sempre que ela descansa de sua marcha. Quando Salomão ofereceu sua oração dedicatória no templo, ele se utilizou da mesma linguagem escrita e preparada por seu pai, Davi, na geração precedente. (Compare II Cr 6.41 com o Sl 132) Muitos dos Salmos eram recitados ou cantados em uníssono ou responsoriamente na adoração do Antigo Testamento.Os Salmos foram utilizados também para a adoração na igreja cristã primitiva, “que a palavra de Cristo habite em vós abundantemente em toda sabedoria; ensinando e admoestando uns aos outros com Salmos, hinos e canções espirituais, cantando em vossos corações com graça ao Senhor.” (Col. 3.16) A adoração na Sinagoga no tempo do ministério de Jesus era litúrgica. Jesus conformou-se a esta adoração. “E como era seu costume, veio a sinagoga no dia de Sábado e aprontou-se para a leitura.” (Lc 4.16) Jesus também deu aos seus discípulos uma oração para ser utilizada na Igreja. Nós dizemos “na igreja,” pois a oração é para uso público como se indica pelos pronomes plurais. No décimo primeiro capítulo do Evangelho de Lucas nós lemos que, em resposta à questão que Jesus ensina os discípulos a orar, Ele diz, “quando orardes, dizei,” e em seguida dá-se a forma de petições que é conhecida como a Oração do Senhor. É bastante evidente que a Igreja Apostólica utilizou-se das formas fixas. Em Antigo Testamento 2.42, Lucas conta-nos que os crentes, “continuaram diligentemente no ensino e na comunhão dos Apóstolos no partir do pão e nas orações. Certamente esta é a evidência mais forte e convincente das Escrituras de que as formas fixas de adoração estão em harmonia com o ensino e práticas bíblicas.

PARTICIPAÇÃO CONGREGACIONAL

Um dos grandes êxitos da Reforma Protestante foi a provisão de uma liturgia responsória para as pessoas. Lutero preparou formas de adoração para a Alemanha. J. Knox para a Escócia e os Reformadores suecos seguiram seus exemplos. Calvino esteve entre os primeiros a perceberem o valor das formas fixas e concedeu uma liturgia para as igrejas da Suíça. Estas liturgias em linguagem popular asseguraram a participação inteligente dos adoradores. Ao utilizar o Livro de Oração, as pessoas unem-se ao ministro em Confissão Geral, Ação de Graças, Cantos de Louvor, Leitura de Versículos, Salmos e acrescentam seu “amém” às orações que o ministro oferece, fazendo com que elas sejam suas orações. A adoração é responsória do início ao fim, sendo verdadeiramente um serviço de “oração comum.” Em contraste com as igrejas que utilizam “métodos extemporâneos” ou aquelas nas quais somente o ministro atua e deixa pouca participação às pessoas. Ao proporcionar meios comuns e uniformes de adoração, o Livro de Oração tende a unir a todos os membros da Igreja individual e a denominação numa só comunhão e lealdade. Ele previne a exposição das pessoas contra influências doutrinais, modos variados e peculiaridades pessoais do ministro. O Livro de Oração apela aos idosos por causa da sua forma imutável de palavras e apela à juventude pela sua provisão com uma participação ativa. O Livro de Oração Comum, proporciona adoração simultânea da parte do ministros e dos demais.

VALOR DO ENSINO

A utilização do Livro de Oração promove a reverência na adoração cristã de Deus. A crítica que se faz, às vezes, é que as formas ordenadas de oração afetam a sinceridade e a liberdade do indivíduo. Isto não ocorre necessariamente, pois os hinos pré-escritos não destroem a sinceridade de nossos louvores, e as orações pré-escritas também não destruirão a sinceridade de nossas súplicas. De uma forma ou de outra a atitude espiritual do adorador é de suma importância. Uma oração extemporânea pode ser incoerente, desbalanceada e conter repetições a ponto de causar aborrecimentos, ao passo que a forma litúrgica proporciona ordem, razão e coerência de pensamento. O Livro de Oração mantém o adorador sempre atento ao Calendário Litúrgico que enfoca os grandes eventos da Vida de Cristo e as doutrinas essenciais de nossa Fé Cristã. O que poderia ser mais apropriado do que ter cada elemento do serviço de adoração tais como hinos, porções das Escrituras, coletas e etc. em harmonia com o calendário Cristão? Uma congregação que siga tal plano tem a oportunidade de apreciar mais plenamente o rico significado do Advento, Natal, Epifania, Quaresma, Páscoa, Pentecostes e Ano Novo, combinando os dois elementos mais importantes, ou seja, doutrina e adoração. O valor do Livro de Oração não pode ser negado. COMPREENSIVIDADEO Livro de Oração Comum proporciona uma ampla variedade de orações. Elas expressam os variados elementos da adoração, arrependimento, confissão, perdão, intercessão e ações de graças. As Coletas (breves orações) são fornecidas para todos os dias do Ano Litúrgico. Petições especiais e convenientes para cada ocasião são proporcionadas pela oração comum. Além disso, o Livro de Oração da Igreja Episcopal Reformada indica um lugar definido nas Orações Matutina e Vespertina, para orações extemporâneas conforme requerer a ocasião. Há provisão também para a adoração em família. As súplicas da Litania são expressas no rico e expressivo Inglês do século XVI, são todas inclusivas e amplas e expressam os desejos básicos e necessários do adorador Cristão. Nas Orações Matutinas e Vespertinas uma porção diferente do Saltério é indicada para cada Domingo do ano. Uma Leitura das lições das Escrituras tanto do Antigo quanto do Novo Testamento cobrem um ciclo de três anos e apresentam à congregação uma visão compreensiva e detalhada da Bíblia.

ÊNFASE BÍBLICA

Um exame cuidadoso do Livro de Oração revela que mais de setenta por cento do seu conteúdo é de palavras das Escrituras, enormes passagens dos Salmos, Evangelho e Epístolas. Além disso, fornece-se lições das Escrituras do Antigo e do Novo Testamentos. Mais ainda, as orações são baseadas nos claros ensinamentos de várias porções da Palavra de Deus.

CONCLUSÃO

Uma apreciação e consideração destes fatos, deve infundir um grande respeito e amor por este Guia de Orações, o chamado O Livro de Oração Comum da Igreja Episcopal Reformada.